Botelho critica perpetuação no Poder e quer PEC contra reeleição

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM) defendeu que seja apresentada uma Proposta de Emenda a Constituição (PEC) que proíba a reeleição de presidente e primeiro-secretário no comando do Legislativo mato-grossense.

 

O deputado Wilson Santos (PSDB) elaborou o texto e está tentando conseguir assinaturas para que seja apresentada em plenário para proibir a reeleição. A proposta, segundo Botelho, foi uma iniciativa dele.

 

Recentemente, o presidente foi alvo de duas ações na Justiça que queriam o impedi-lo de seguir para seu terceiro mandato.

 

“Essa PEC na verdade partiu de mim. Eu não sou a favor de perpetuação no Poder. Eu fui eleito, reeleito e ‘trieleito’ sem fazer nenhuma negociação. Agora, uma hora eu tenho que sair. Eu não vou ficar eternamente aqui”, disse à imprensa, apontando que sua recondução ao cargo foi feita com articulações “republicanas”.

“Quando chegam pessoas aqui que não têm o mesmo perfil, usam de todas as artimanhas, vendem tudo, fazem tudo, para que, como já vimos no passado, que ficaram 20 anos aqui. Saíram da primeira-secretaria, e não ganhavam eleição”, cutucou.

 

Botelho se referiu ao ex-presidente do Legislativo de Mato Grosso, José Riva. O ex-parlamentar comandou a Assembleia Legislativa – ora como presidente, ora como primeiro-secretário (ordenador de despesas) – por 20 anos.

 

Em 2020, teve acordo de colaboração premiada homologada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso e delatou diversos crimes que ocorreram no período em que esteve à frente do Legislativo.

 

Botelho, no entanto, ao ser questionado sobre a referência ao ex-presidente condenado, negou.

 

“Não estou falando de ninguém. Estou falando que já aconteceu. Não estou citando nomes. Não foi bom para ninguém. Nós queremos botar um ponto final nisso. Que quem seja presidente e primeiro-secretário não participe da próxima eleição. Eu acho justo”, emendou.

Comentários estão fechados.