O fim da tirania

Felizmente, grande parte da população brasileira está felicíssima, com a saída da presidência da Câmara Federal desse tirano, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), essa foi a primeira vez na história que um parlamentar comandou a Câmara por três vezes seguidas.

A presidência da Câmara parecia   tratar-se de cargo vitalício, em função da estada desse senhor por esse longo período, dos quais, sempre engavetou projetos de relevância para o Brasil.

Esse senhor, graças a Deus, agora ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia vulgo “Botafogo” codinome que o mesmo aparece no sistema da Odebrecht que indica pagamento de R$ 1,4 milhão ao mesmo.

Gostem ou não, “Botafogo” aproveitou esse momento de pandemia, para fazer valer a sua vontade de instalar no país o regime “semipresidencialista” de forma impositiva, como sempre admitira.

Dessa forma adquiriu complexo de “primeiro-ministro”, assim sendo, passou a engavetar iniciativas do governo eleito nas urnas, pelo   presidente Bolsonaro, impedindo-as de ir à votação, ganhando assim, apelido de “engavetador-geral da República”.

São tantas lambanças protagonizadas por esse senhor; parte do “pacotão” de projetos apresentados pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, em novembro de 2019 batizado de “Plano Mais Brasil”, e o que mais pegou, foi o engavetamento pelo mesmo, das reformas tributária e administrativa.

A administrativa deverá economizar R$ 300 bilhões aos cofres públicos, segundo cálculos do governo, compensando uma possível redução na arrecadação, causada pela primeira; a população brasileira agora com a mudança de presidente da Câmara Federal, espera ansiosamente, que ocorram os destravamentos tão sonhados.

Ao deixar o cargo, o mesmo não poderia deixar de protagonizar mais uma ação de ator hollywoodiano; o mesmo, se emociona ao se despedir de forma melancólica, não sabemos, se são lágrimas verdadeiras ou de de crocodilo, pois o mesmo, tem uma capacidade inimaginável de representar.

Existe uma música que se encaixa bem nessa despedida teatrológica, com a música “Porque homem não chora”, em uma versão um pouco modificada.

Estou indo embora “graças a Deus”; a mala já está lá fora “maravilha”; vou te deixar “já vai tarde”; por favor não implora “jamais”; porque homem não chora “nem sempre”; e não pede perdão “você é quem deveria pedir  perdão ao povo brasileiro”; você foi a culpada desse amor se acabar “nunca houve amor, com quem só quis sugar”; você quem destruiu a minha vida “você quem destruiu o sonho de milhões de brasileiros”; você que machucou meu coração e fez chorar “ você que machucou o nosso e fez chorar 212 milhões de brasileiros”; e me deixou num beco sem saída  “você quem nos deixou literalmente num beco sem saída”; estou indo embora agora, “vai com Deus Rodrigo Maia”.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

Comentários estão fechados.