DEM tenta demover Júlio Campos de se aliar a tucanos, suplência com Fávaro pode ser saída

Na busca de tentar reverter o apoio dos irmãos à candidatura de Nilson Leitão (PSDB) ao Senado, uma reunião ocorrerá nesta segunda-feira (10) entre Júlio Campos (DEM) e o senador Carlos Fávaro (PSD). A reunião estaria supostamente sendo articulada diretamente com o presidente estadual do DEM, Fábio Garcia. O encontro também contará com a presença do megaprodutor Eraí Maggi (PP).A ideia é a de tentar demover Júlio de ser 1º suplente na chapa de Leitão, conforme foi anunciado pelo senador Jayme Campos (DEM). A reunião  alinhar uma dobradinha entre Fávaro e o ex-governador, na condição de 1º suplente na chapa, ficando a 2ª suplência para o PP de Eraí e do ex-ministro Blairo Maggi.

Nos bastidores, alguns partidários de Fávaro chegam a dizer que o encontro terá o aval do governador Mauro Mendes (DEM), que recebeu alta neste último domingo(09), do Hospital Sirio-Libanês, onde fez um tratamento relativamente longo para curar sequelas pulmonares, possivelmente, por conta ainda da Covid-19, após testar positivo, em junho, para a doença.

Os argumentos, comumente, se pautam, quanto a apoio de Mendes à Fàvaro, pelo fato do social democrata estar ocupando, interinamente, a vaga da ex-congressista Selma Arruda(Podemos), cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral, em dezembro do ano passado, por caixa 2 e abuso de poder econômico. Por meio de um liminar concedida pelo ministro Dias Tofoli, o presidente do Supremo Tribunal Federal, assegurou que Fávaroa assumisse a cadeira no Congresso, atendendo ação interposta pelo Procuradoria Geral do Estado, como forma de impedir a vacância do cargo, no período da cassação.

Isto, contudo, na avaliza, neste momento, o apoio de Mendes a Fávaro. Até porque no meio deste empreendimento eleitoral tem, igualmente, o nome de seu vice-governador, Otaviano Pivetta(PDT), nesta mesma. E no período em que Pivetta definiu pela disputa, no início do ano, o governador democrata chegou a revelar que poderia mudar seu apoio e da-lo ao seu vice.

Para elevar a tensão eleitoral, nesta última sexta-feira (7), o vice-governador pedetista se reuniu com vários líderes partidários em Mato Grosso, e oficializou o apoio de 10 legendas à sua disputa pelo Senado. Adiantando, na reunião, que esperava o restabelecimento do Chefe do Executivo estadual, para definir o seu posicionamento de vez.

Quanto ao nome de Júlio, o irmão, o senador também democrata, Jayme Campos, assevera que não voltará atrás da decisão em apoiar Nilson Leitão.

Nos bastidores, a informação é de que o anúncio feito pelos irmãos Campos na semana passada em apoiar a candidatura tucana teria sido uma resposta ao grupo do governador, que estaria articulando a eleição na Capital, sem a presença dos dois.

O pleito que seria realizado no dia 26 de abril, foi suspenso por conta da pandemia da covid-19, devendo ocorrer junto com o primeiro turno das eleições municipais, em 15 de novembro.

Para elevar a tensão eleitoral, nesta última sexta-feira (7), o vice-governador pedetista se reuniu com vários líderes partidários em Mato Grosso, e oficializou o apoio de 10 legendas à sua disputa pelo Senado

Fonte Bom da noticia

 

Comentários estão fechados.