Tiro foi disparado a 40 cm do rosto de Isabele, segundo laudo da Politec

O tiro que matou Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, correu a curta distância e reto, saindo na horizontal, aponta o laudo preliminar da Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso (Politec-MT). A bala teria entrado e saído reto da cabeça da adolescente. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (22).

Segundo informações preliminares, foram encontrados resíduos de pólvora no rosto da vítima. A distância entre a arma e a face da menor seria de no máximo 40 cm.

Este laudo preliminar, que saiu 10 dias após o crime, é contrária da versão dada no depoimento da adolescente B. O. C., que afirmou que o disparo teria ocorrido após uma das armas ter caído da case em que era armazenada. O pai teria pedido pra menor guardar a arma.

As novas provas estão sendo analisadas, neste momento, pelo delegado e pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Durante entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Patrícia Ramos, mãe de Isabele, disse não acreditar em acidente, pois o tiro acidental poderia atingir outras partes do corpo.

Isabele foi encontrada sem vida no banheiro da casa da amiga, por volta das 22h30, do domingo (12). Ela foi atingida com um tiro acidental na cabeça pela amiga, B.O.C., também de 14 anos, no condomínio Alphaville I.

A arma usada no acidente foi uma pistola PT 380. Logo após o disparo, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e constatou a morte da vítima.

Comentários estão fechados.