Mendes critica postura do MPE com gestores na pandemia: “Faz igual polícia que atira primeiro e pergunta depois”

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou na manhã desta quarta-feira (22) que o Ministério Púbico do Estado (MPE) vem agindo de forma “espetaculosa” na fiscalização de possíveis superfaturamentos em compras do Estado e municípios nesse período de pandemia.Para Mendes, muitos gestores estão temerosos em adquirir medicamentos e equipamentos para o combate ao coronavírus e virarem alvos de investigação do MPE. ‘O Ministério Público tem que agir com seriedade, como tenho certeza que é sério. Se tem dúvidas, vai lá e pergunta pro gestor, pede esclarecimento, antes e fazer aquela coisa espetaculosa como algumas vezes já vimos isso acontecendo. Como se fosse a polícia, atira primeiro e pergunta depois”, afirmou em entrevista à rádio Capital FM.

“Aí os preços subiram, virou uma confusão, preços caros, os gestores públicos ficaram com medo de comprar. Se compra daqui a pouco está o Ministério Público dizendo que houve confusões. Então a gente passa por um momento muito delicado”, completou.

Mesmo afirmando que existem riscos de gestores serem investigados, o governador garante que não tem se tornar alvo do MP por ter a consciência tranquila de que vem fazendo a coisa certa. “Eu particularmente, não tenho essa preocupação. Porque quando você tem a consciência que está fazendo a coisa correta, em tese, você não tem que se preocupar. Agora, o MPE tem que agir com seriedade”, disse.

Mendes citou exemplos de situações ocorridas nos últimos meses por conta da crise sanitária, como  a compra de testes rápidos para a Covid-19. “Tem Estados, prefeituras pagaram de R$ 50 a R$ 180. Nós compramos direto da China, do fabricante. Entrou por R$ 18 cada teste. Será que eles fizeram algo de errado? Será que eles tiveram outras alternativas? Os preços ficaram malucos, por isso estamos pesquisando, cotando, procurando o melhor preço”, questionou.

 

 

Comentários estão fechados.