O sucateamento dos serviços públicos gera reflexos em toda a sociedade

 

Sofrem Os trabalhadores na ativa, sobrecarrega, e sofre a população que depende do serviço prestado. Há uma iniciativa que busca o sucateamento dos serviços públicos e o enfraquecimento da cidadania, está bem posto o cenário desse desmonte que se vive atualmente no Brasil desde a aprovação da emenda à Constituição (EC) 95, em 2016, que congela os investimentos públicos por 20 anos. O que se é a redução da oferta de serviços, falta de reposição de vagas de servidores e o desmonte de diversos setores, dando lugar à precarização e à transformação de empregos públicos em vagas terceirizadas. Mais recentemente, ainda na esteira da reforma da Previdência, pune o trabalhador a trabalhar mais tempo e aposentar-se (se conseguir chegar à aposentadoria) com menos… a ideia é congelar reajustes salariais e concursos públicos, além de acabar com a estabilidade dos servidores públicos. Sim, o serviço público socialmente referenciado no Brasil está sob ameaça, o governo tem avançado na instituição do estado mínimo neoliberalista, que prioriza o pagamento da dívida pública, beneficia o mercado financeiro e concede perdão a banqueiros infratores. O resultado é o sucateamento do serviço público e a transformação do direito às políticas públicas em cobrança de serviços. Servidores, temos muito a resistir, pois o governo quer destruir toda uma categoria de trabalhadores que serve a população com orgulho ao longo dos anos. Defendemos um serviço público de qualidade.

Advogada servidora publica Letícia prado

Comentários estão fechados.