Mulher estava viva quando teve fogo ateado ao corpo pelo amante em MT

Vítima de feminicídio ainda estava viva quando teve fogo ateado ao corpo pelo amante, em Tabaporã (643 km ao norte). Jaqueline dos Santos, 24, mesmo depois de atingida com um tiro na cabeça, ainda sentiu a dor de ter o corpo queimado, quando o amante atirou combustível e ateou fogo.

Ela tinha maços de cabelos nas mãos quando o corpo foi localizado. O autor do crime foi preso pela Polícia Civil ma quinta-feira (2), e o delegado Carlos Henrique Engelman, vê nele sinais de psicopatia. Jaqueline deixou uma filha de um ano e 2 meses, que ainda era amamentada.

O corpo dela foi localizado no dia 20 de junho, um dia depois de deixar a criança na casa da vizinha e sair, dizendo que voltaria logo. Mas, no encontro ela foi executada por A.S.P., 21, com quem mantinha um relacionamento extraconjugal.

O assassino também é casado com uma advogada, confessou o brutal assassinato para a mulher, um dia depois. Segundo o delegado, ele tentou justificar que matou Jaqueline, porque ela ameaçou contar sobre o relacionamento de 4 meses para a esposa.

Mas a versão não convence, pois a própria advogada disse que já sabia do caso e havia perdoado o marido.

Comentários estão fechados.