Prefeito EP defende medidas de flexibilização, mas admite lockdown se Covid “fugir do controle”

A prefeitura de Cuiabá emitiu uma nota, na tarde desta segunda-feira (8), em resposta a um ofício que o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso – SINPEN/MT encaminhou ao Ministério Público Estadual pedindo a intervenção do órgão para decretação de lockdown em Cuiabá e Várzea Grande.

De acordo com os profissionais de enfermagem, a medida visa contenção dos casos como da Covid-19, que estão em crescimento acelerado nos dois municípios. Além disso, a entidade sugere a implantação de hospitais de campanha no Estado para atender os pacientes que vierem a ser contaminados com o novo coronavírus no Estado.

Por meio da nota, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) sinalizou a possibilidade de adotar medidas extremas. “Se houver um descontrole ou qualquer ameaça com o possível descontrole, não tenham dúvida de que adotarei qualquer medida, seja ela qual for, para proteger à saúde e a vida das pessoas”, declarou ele.

O prefeito destacou que, com o surgimento do primeiro caso de Covid-19 no país, foi criado um Comitê Municipal de Enfrentamento, com o objetivo de elaborar um plano de prevenção, combate e mitigação à doença. As primeiras ações tomadas na capital foram as medidas de isolamento social (quarentena), o sistema home office a todos os servidores da administração pública e a suspensão das aulas na rede pública e privada na capital.

O fechamento do comércio e a orientação para adoção do teletrablho, além da suspensão do transporte coletivo, também foram ações implantada na tentativa de conter o avanço acelerado da doença e evitar um colapso do sistema de saúde.

Com base nos dados levantados e acompanhados pelo Comitê, houve a edição de 20 decretos pautados na premissa de achatar a curva de crescimento da doença.

Outra atitude, segundo a prefeitura foi montar uma rede de atendimento aos infectados com a compra de equipamentos, assim como a aquisição de insumos e materiais de proteção para os profissionais que atuam diretamente no atendimento aos pacientes com coronavírus.

A desinfecção de locais públicos por meio do uso de caminhões pipas e borrifadores, instalação de lavatórios populares em pontos estratégicos da cidade, fechamento de parques municipais para evitar aglomerações, permitiu que as pessoas que precisavam trabalhar pudessem circular de maneira mais segura.

O prefeito destacou que as medidas de flexibilização do isolamento começaram 40 dias após o primeiro decreto e que tudo ocorreu com critérios técnicos e seguindo orientações sanitárias. “O processo de retomada ocorre de maneira restrita, com horário reduzido, uso obrigatório de máscaras, além da obrigação da disponibilização de álcool em gel por parte dos estabelecimentos”, completa a nota.

Infraestrutura

Com relação à infraestrutura para atendimento dos pacientes infectados pela Covid-19, a prefeitura informou que segue princípio da economicidade. Transformou o antigo pronto-socorro no Hospital de Referência para tratamento da doença.

Na unidade foram disponibilizados 55 leitos de UTI, além de 170 leitos de enfermaria. Também foram disponibilizados 40 leitos de UTI no Hospital São Benedito, especificamente para pacientes com COVID-19. Por último, a UPA Verdão funcionará como retaguarda para o Hospital de Referência.

ÍNTEGRA DA NOTA

Em relação à solicitação do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso – SINPEN/MT para a decretação de lockdown em Cuiabá, a Prefeitura Municipal informa

-O prefeito Emanuel Pinheiro reafirma que jamais se furtará a adotar medidas, mesmo que extremas. “Se houver um descontrole ou qualquer ameaça com o possível descontrole, não tenham dúvida de que adotarei qualquer medida, seja ela qual for, para proteger à saúde e a vida das pessoas”. 

-Oportuno esclarecer ainda que antes de Mato Grosso registrar o primeiro caso de COVID-19, Cuiabá  deu início a um rigoroso protocolo (seguindo as diretrizes da Organização  Mundial de Saúde) para evitar à disseminação do novo coronavírus, o que incidiu na criação de um Comitê Municipal de Enfrentamento, elaboração de um plano de prevenção, combate e mitigação à doença, além de medidas de garantia do isolamento social, como a adoção do sistema home office a todos os servidores do Executivo e a suspensão das aulas na rede pública e privada na capital, além da restrição aos segmentos econômicos e suspensão do serviço de  transporte público, 

-Foram adquiridos equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais da rede municipal de Saúde, assim como foram expedidas notas técnicas da Vigilância Sanitária; 

-Desde então, o prefeito Emanuel Pinheiro já editou 20 decretos, todos pautados pela premissa de  achatar a curva de crescimento da doença, para que em tempo célere fosse organizada uma rede de saúde exclusiva para os casos da Covid19. 

-Além disso medidas de biossegurança foram tomadas, como desinfecção de locais públicos por meio do uso de caminhões pipas e borrifadores, instalação de lavatórios populares em pontos estratégicos da cidade, fechamento de parques municipais para evitar aglomerações, entre outros.

– Somente após 40 dias do veto ao funcionamento dos estabelecimentos comerciais, o Executivo deu início a um plano de retomada gradual e segura dos segmentos econômicos;

–  O processo de retomada ocorre de maneira restrita, com horário reduzido, uso obrigatório de máscaras, além da obrigação da disponibilização de álcool em gel por parte dos estabelecimentos.

-A Prefeitura de Cuiabá, seguindo princípio da economicidade, transformou a antiga estrutura do  antigo Pronto-Socorro no Hospital de Referência para a COVID-19 na capital, onde foram disponibilizados 55 leitos de UTI, além de 170 leitos de enfermaria. Também foram disponibilizados 40 leitos de UTI no Hospital São Benedito, especificamente para pacientes com COVID-19. Por último, foi aberta nesta segunda-feira, 8, a UPA Verdão, que funcionará como retaguarda para o Hospital de Referência.  

-Semanalmente, o prefeito Emanuel Pinheiro preside as discussões do Comitê Municipal de Enfrentamento. É nesse espaço – mediante embasamento técnico – são debatidas as medidas a serem  implementadas relacionadas à pandemia.

 

Comentários estão fechados.