Deputado Botelho oficializa chapa que comandará Legislativo; veja nomes

A chapa encabeçada pelo atual presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), oficializou sua inscrição, no início da noite desta segunda-feira (8), para a disputa pela Mesa Diretora do biênio 2021/2022.

Conforme a inscrição, Botelho se mantém no cargo de presidente e Max Russi (PSB) e Janaina Riva (MDB) ficam como primeiro secretário e vice-presidente, respectivamente.

Permanecem no cargo ainda os deputados Valdir Barranco (PT) e Paulo Araújo (Progressistas), como tereiro e quarto secretário, respectivamente.

A mudança se deu no cargo de segundo vice-presidente, que ficou com o deputado Wilson Santos (PSDB), e a terceira secretaria, para Claudinei Lopes (PSL).

Esta será a única chapa a disputar a eleição interna, já que a oposição, encabeçada por Lúdio Cabral (PT), não conseguiu os sete nomes necessários para montar uma concorrência.

Desta forma, Botelho vai para seu terceiro mandato como presidente da Casa.

 

Data e rito de votação

A eleição que define a “nova” Mesa Diretora ocorrerá na sessão da próxima quarta-feira (10), às 9h.

“Para concorrer à eleição da Mesa Diretora, a chapa deverá requerer inscrições por escrito, em três vias, com a assinatura de todos os seus integrantes […] devendo o requerimento ser apresentado ao gestor de gabinete do presidente da mesa em exercício”, consta em resolução assinada no dia 7 de março.

Passado o prazo de inscrição, os parlamentares deverão ir presencialmente à Assembleia Legislativa para votar.

Durante a eleição, serão mantidas medidas de segurança especiais, visando a prevenção de contágio pelo novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com consultor legislativo da Mesa Diretora, José Domingos Fraga, quem deve estar em plenário são o presidente Eduardo Botelho, a vice-presidente Janaina Riva e o primeiro secretário Max Russi.

Os outros parlamentares estarão em seus gabinetes e serão convocados um a um para votar.

“A recomendação é que cada deputado fique em seu gabinete e, conforme o presidente for chamar o deputado por nome, de cada bancada, para dirigir ao Plenário e votar, ele pode permanecer em plenário, mantendo o distanciamento mínimo de 1,5 metro. Não tem nenhuma limitação, apenas recomendações”, afirmou Fraga.

Conforme a legislação, a votação é realizada por meio de voto secreto, mediante apresentação de cédula completa, e por maioria absoluta de votos – 13.

Caso não seja obtida a maioria absoluta, será eleita para a composição da Mesa Diretora a chapa que alcançar maioria relativa em segundo escrutínio. Neste caso, seria a metade mais um dos deputados presentes em plenário.

Os eleitos tomarão posse em 1º de fevereiro de 2021.

 

Comentários estão fechados.