Hospital troca corpos e cardíaco é enterrado no lugar de paciente que veio a óbito pela covid-19

Alaíde Rosa de Aquino, 81 anos, de São José dos Quatro Marcos, que morreu com coronavírus nessa terça-feira (26), teve o corpo trocado no Hospital São Luiz, em Cáceres (a 220 km de Cuiabá), por outro idoso que acabou sendo enterrado no lugar dela.

De acordo com os familiares de Alaíde,  o outro paciente seria Adélio João de Souza, de 66 anos, que teria sido enterrado como se fosse suspeito de ter testado positivo pela covid-19, no Cemitério Park dos Ipês em Cáceres.

Contudo, Adélio teria morrido após sofrer um infarto no mesmo dia que Alaíde, após dar entrada no hospital no dia 20 de maio. E teria, inclusive, como forma de protocolo hospitalar, realizado o exame para identificar se estaria com coronavirus, testando negativo para a infecção.

Já a idosa – que era cardíaca -, deu entrada no hospital no dia 23 de maio, e após teste teria sido comprovada a presença do vírus da covid-19. As mortes e as trocas de corpos provocaram uma grande confusão na unidade.

Quando os familiares de Adélio chegaram ao hospital para liberar o corpo, foram informados que o idoso já havia sido sepultado com suspeita de Covid, pela família da idosa.

A duas famílias registraram boletim de ocorrência contra o hospital. Matéria realizada pelo site da região – expressão notícias – revela que Roberto Fernandes de Souza, filho de Adélio João de Souza, foi avisado da morte do seu pai pela unidade hospitalar, em seguida teria ido para realizar a liberação do corpo.

Mas quando procurou um agente funerário para o velório foi informado, em princípio, que o hospital não estava querendo liberar o corpo para o serviço funerário. De volta ao hospital descobriu, então, que o corpo do pai já havia sido sepultado no lugar de Alaíde e ainda que o corpo da senhora encontrava-se ainda no Hospital.

Diante de tamanho descaso, tantos os familiares de Adélio, quanto de Alaíde, procuraram o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC), em Cáceres, para dar queixa da confusão.

A direção do hospital São Luiz emitiu nota de esclarecimento informando que abriu sindicância para apurar o ocorrido e adotará todas as medidas cabíveis.

Veja a nota na íntegra

A direção do Hospital São Luiz informa que abriu sindicância para apurar o ocorrido e adotará todas as medidas cabíveis.

A gestão mantém, de forma contínua, a revisão de protocolos de segurança e o caso mencionado não está de acordo com o rigor dos procedimentos do São Luiz.

Os familiares dos pacientes envolvidos foram informados, imediatamente, após identificada a situação, sendo oferecido todo o suporte para a resolução dos trâmites necessários.

Neste momento, o Hospital São Luiz lamenta o ocorrido e reitera seu compromisso com a população, amparado por seus princípios e a busca permanente pela qualidade, humanização e segurança nos serviços oferecidos.

Assessoria de Comunicação – Hospital São Luiz

Comentários estão fechados.