Respiradores mecânicos são recuperados e entregues à Santa Casa no combate à Covid-19

Quatro respiradores mecânicos recuperados em parceria – entre Federação das Indústrias de Mato Grosso e Tribunal de Contas do Estado – foram entregues esta semanna, ao Hospital Estadual Santa Casa ,para a utilização no tratamento de pacientes acometidos pelo novo coronavírus (Covid-19).

A entrega foi realizada pelos presidentes das instituições – Guilherme Antonio Maluf e Gustavo de Oliveira, respectivamente -, na sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Departamento Regional de Mato Grosso, em Várzea Grande. Nove respiradores mecânicos já foram recuperados pela equipe do Senai e entregues às unidades hospitalares. Ao todo, 87 sem condições de uso na rede pública hospitalar do Estado foram encaminhados para avaliação e manutenção.

A manutenção dos respiradores é fruto do acordo técnico-financeiro-emergencial assinado entre TCE-MT e Senai, no mês passado. O termo prevê suporte financeiro da Corte de Contas no montante de R$ 500 mil para aquisição de peças e outros materiais necessários para o reparo dos respiradores.

“Sabemos da importância desses respiradores para as unidades hospitalares no combate à Covid-19. O convênio entre TCE-MT e Senai foi altamente positivo e os respiradores, que hoje estão sendo devolvidos para a sociedade, vão salvar vidas”, afirmou Guilherme Antonio Maluf.

De acordo com o presidente da Fiemt, a parceria foi muito importante porque viabilizou a manutenção e recuperação dos respiradores, algo que a equipe do Senai tem capacidade técnica para fazer. “Esse processo também nos ensinou que é possível colocar esses ativos em atuação e operação. Estamos recuperando respiradores que estavam baixados há 5 anos na Santa Casa e serão utilizados por pessoas que precisam”, comentou.

A diretora do Hospital Estadual Santa Casa, Patrícia Neves, agradeceu a manutenção dos respiradores e pontuou que, atualmente, 12 pacientes estão internados na UTI da unidade com coronavírus e 18 estão na enfermaria.

“Partindo do princípio que vivemos uma pandemia, seria completamente inviável, impossível a compra ou recuperação de respiradores, pois a demanda reprimida é muito grande, sabemos de empresas que estão em colapso, seria difícil a manutenção das que temos. Hoje, os respiradores estão custando três vezes mais o valor original”, avaliou.

Os conselheiros Moises Maciel e Luiz Carlos Pereira também participaram da entrega dos respiradores e conheceram o local onde estão sendo realizadas as manutenções, na sede do Senai. “Representando a corregedoria, acompanho o desenvolvimento desse convênio e presencío o sucesso da sua execução. O TCE-MT está de parabéns, a Fiemt também e quem gana com isso é a população mato-grossense”, disse o conselheiro e corregedor-geral do TCE-MT, Moises Maciel.

Já Luiz Carlos Pereira lembrou que o momento pede que as instituições se adaptem e sejam ágeis, buscando soluções criativas para superar esse momento. “Esse convênio, de buscar equipamentos danificados que precisam de manutenção e assistência e recuperá-los, é de suma importância. Esse é um exemplo dado por essas instituições, estamos nessa pandemia, não há o que se comemorar, mas muito trabalho está sendo feito para dar resposta a sociedade”, comentou.

Comentários estão fechados.