Assembleia é a preferida da gestão Mendes: o único poder com previsão de aumento no repasse de dinheiro em 2019

Redação - Lauro Nazário

A semana começou quente para Governo de Mato Grosso e a nova composição da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), comProjetos de Leis à ser aprovado e as negociações de uma chapa forte, que podem definir os caminhos da gestão do Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

Os Projetos de Leis que visam buscar o equilíbrio financeiro do estado, que atravessa uma “crise bilionária”, com redução de repasses para os Poderes, e investimentos na casa de R$ 1 bilhão, eram para ser discutidos ontem a tarde, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, mas a reunião foi cancelada, por razões de “forças ocultas”.

Segundo informação de bastidores, os Projetos do Governo do Estado estão praticamente prontos, faltando acertar apenas alguns minuciosos detalhes, como por exemplo, de todos os Poderes, Tribunal de ContaTribunal de Justiça, Ministério Público,Defensoria Pública, a Assembleia Legislativa é o único órgão que está previsto em não sofrer redução no repasse do duodécimo, pelo contrário, a previsão é receber um acréscimo, passando de R$ 893.943 milhões em 2018, para R$ 896.123 milhões para 2019, outra situação que pode gerar uma crise entre os poderes, já que o “pau que bate em Chico deve ser o mesmo para Francisco”.

Por outro lado, a formação de uma chapa forte para concorrer e vencer a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado, ainda gera muitos imbróglios, mas é fundamental para determinar os caminhos da gestão Mendes. Com o deputado estadualJosé Eduardo Botelho (DEM), que está buscando a supremacia na cadeira de presidente, pelo segundo mandato consecutivo, a briga está para os nomes da primeira secretaria e vice-presidente, envolvendo nomes como dos deputados Guilherme Maluf(PSDB) e Max Russi (PSB), ambos da oposição, mas que devem compor a chapa.

De acordo com informações de bastidores, o nome do deputado Max Russi seria o favorito para compor a chapa, indicado pelo deputado Eduardo Botelho, mas até o momento, Max não teria conseguido agregar condições suficientes para assumir a vaga na disputa. Já o deputadoGuilherme Maluf, que já foi presidente da Casa, além de ter condições para assumir a disputa, teria o apoio dos caciques do poder executivo.

As reuniões apresentadas para o público estão previstas para começarem, hoje, quarta-feira, dia 09, em um almoço com o governador Mauro Mendes e os deputados. As definições, aí já é uma incógnita que só deve ser apresentada dias ou até mesmo horas, antes da eleição da mesa.

Hoje, a Assembleia Legislativa possui a maior renovação da história, ocorrida na última eleição, são 16 nos deputados que podem quebrar paradigmas e fazer história na política de Mato Grosso, com a maioria dos votos, podem surpreender e mudar tudo que está sendo conversado, já que se mudou o governo federal, o estadual, porque não mudar o governo da Assembleia?. – (Lauro Nazário)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.